Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Palavras’ Category

A incrível verdade – 2

– Então tu achas que os tipos querem “repartir” os lucros? Tá queto! Quando muito, querem distribuí-los pelos accionistas. Ah, pois! As empresas já não servem para fabricar objectos ou fornecer serviços –  e para dar trabalho às pessoas muito menos. Andas a dormir! Servem para ter lucros para DISTRIBUIR pelos accionistas! Aprende a nova linguagem, pá, distribuir e accionistas. E todos os anos têm que ter mais lucros que nos anos anteriores ou as acções caem e acontece o fim do mundo, o dilúvio, fogo e ranger de dentes. 

E os trabalhadores? São uns gajos chatos, que querem aumentos de ordenado e direitos que custam dinheiro e reduzem lucros. Fixe, fixe era poder tê-los à discrição: ora, este mês dava-me jeito que trabalhassem 65 horas, nada de pagar como se fossem horas extra, que isso reduz o lucro dos accionistas, vade retro! Depois ficam em casa e quando eu precisar chamo-os. E tenho aqui aqui umas garrafas de gás peso-pesados a mais (as pluma dão mais lucro)… hum… que lhes faço? Já sei pago com elas o subsído de férias dos malandros que trabalham para mim! Mas depois vou falar com o ministro: ouve lá, pá, porque é que eu tenho de pagar férias? Os gajos não trabalham durante um mês, eu tenho de lhes pagar esse mês e AINDA LHES PAGO AS FÉRIAS???  Já viste o lucro que a empresa tinha se não pagasse subsído de férias? E SE NÃO PAGASSE O MÊS DE FÉRIAS? UAUAU!  E eu não estou a pensar em mim, pá, estou a pensar em ti e nos outros accionistas…

– O que eu gostava de saber é se esta gente é parva ou faz-se. Então a bolsa funciona sem as empresas produzirem nada? Sem venderem nada? As empresas podem existir sem consumidores? Poderá haver consumidores sem trabalhadores? Até o Ford (que deus o tenha do seu lado esquerdo!) pensou que era importante para a empresa dele que os trabalhadores dele pudessem ter dinheiro para comprar os carros que a empresa dele fabricava! Mas o Ford só podia ser um tipo estúpido todos os dias.

Anúncios

Read Full Post »

“A única obrigação moral duma empresa é dar lucro.”

Milton Friedman

Não sei quando isto foi escrito, mas parece-me ter sido escrito hoje de manhã pelos administradores da CGD ou da Galp…
(Via Oeste Bravio, cuja leitura recomendo vivamente, como sempre.)

Read Full Post »

Na tomada de posse como primeiro-ministro… pouco sério.

Hoje “José Sócrates não vai  propor referendo ao tratato de Lisboa”

Para provar que temos um povo melhor do que os políticos que o governam, só me contento com manifestações nacionais contra a mentira institucionalizada, caso contrário nunca mais perderei um cêntimo de vencimento a fazer greve pelos direitos de quem não a faz e nunca mais irei votar, porque de facto eu não me posso queixar da minha vida, queixo-me da vida dos outros que, apesar disso, votam nesta gentalha.

Read Full Post »

Não me chegam as palavras

A minha pátria é a minha língua, como diz o F.Pessoa. Salto de cada vez que alguém se põe a comparar alhos com bugalhos e diz que a língua portuguesa não chega, que o espanhol isto e o inglês aquilo.

Porém, há de factos situações em que faltam palavras, vai daí há que inventá-las. Eu inventei uma há muitos anos e sempre a usei como se a palavra me tivesse precedido. É a palavra “esplinchar“. Que significa? É melhor ir pelo contexto… Estamos a estrelar um ovo, certo? E afastamos o corpo uns cinquenta centímetros com medo que o óleo quente ESPLINCHE  e nos queimemos.

Digam lá que não estávamos mesmo a precisar desta palavra? Eu uso-a inúmeras vezes e espero que os senhores que fazem dicionários, ao passarem as vistinhas por este blogue, reparem nela e a que a coloquem da próxima vez que actualizarem os seus compêndios de palavras.

Read Full Post »

Eu nasci no Marão e lá conheci palavras que não ouvi em mais lado nenhum. Infelizmente, a memória lembra-se sobretudo do estranhamento sentido ao ouvi-las, porém algumas delas permaneceram, vá-se lá saber porquê. Como o google  me decepcionou ao procurá-las, aqui ficam as três palavras de que hoje me lembro e o significado respectivo.

Teste significa cheio até à beirinha, ex. Enche-me esse panela teste.

Estreme significa puro, sem mistiura, ex. Não laves a roupa com lixívia estreme.

Arreguiçar significa morrer de frio, ex. Está tanto frio que estou quase a arreguiçar.

Da próxima vez que as procurar no google, a resposta será bem mais satisfatória, ihih!

Read Full Post »